“O Medo” por Luana Piovani

luanapiovani-300-blog

Luana Piovani tem sido notícia direto, escândalos com o ex-namorado, polêmica na opinião sobre animais de circo, mas não é sobre nada disso este post.

Abaixo vai um texto que ela escreveu faz um tempinho para uma revista de moda, o tema era livre, mas ela acertou em cheio e, na minha opinião, mandou bem com as palavras.

O medo!

O maldito medo seria uma boa opção, já que faz parte da nossa rotina, intensamente. Olhei no espelho e lá estava ele, gelado. Vivo numa cidade (talvez valesse generalizar e colocar “um país”??) definida como “purgatório da beleza e do caos” que foi escolhida, por esse “sujeitinho”, para fixar residência.

Aqui convivemos diariamente com pistolas, polícia corrupta, homicídios, manchetes sangrentas, verdadeiras tragédias. A situação é tão grave que até uma criança se aproximando do vidro do carro é o suficiente para um certo pavor. Onde chegamos…

Moro no mesmo lugar há 13 anos e ao longo desse tempo o medo aumentou, a dose habitual cresceu, e ultimamente, parece que ando de mãos dadas com o “mocinho”. Estou produzindo e estrearei em breve um monólogo, não consigo explicar o tamanho do medo, da insegurança que dá fazer algo tão arriscado. O medo foi de mala e cuia para minha casa.

A convivência não tem sido muito fácil, estou aprendendo a tirar proveito desse frio na espinha: o medo que o medo dá… Aproveito o impulso para ir adiante e buscar o novo. Resolvi brincar de ciranda e girar…

Medo parece nocivo, mas é essencial, necessário! Aqui no Brasil, acho que perdemos a medida.
A guerra em que vivemos (tráfico, corrupção, etc) não tem fim, a impotência, o ‘anestesiamento’ nada tem a ver com o medo que impulsiona.

A adrenalina correndo nas veias, nos incentiva. A natureza nos oferece o medo bom. O resto é coisa do homem, que inventou a pólvora. Eu ando entre tapas e beijos com os meus. he! he! he! Brindando o bom medo, celebro minha estréia na mod’ mag, com um pedaço da letra da música do Lenine, que pelo visto tem usufruído muito bem dos seus também!

“(…)Medo de olhar no fundo
Medo de dobrar a esquina
Medo de ficar no escuro
De passar em branco, de cruzar a linha
Medo de se achar sozinho
De perder a rédea, a pose e o prumo
Medo de pedir arrego, medo de vagar sem rumo

Medo estampado na cara ou escondido no porão
O medo circulando nas veias
Ou em rota de colisão
O medo é do Deus ou do demo
É ordem ou é confusão
O medo é medonho, o medo domina
O medo é a medida da indecisão
(…)”

Rádio Trash 80’s

Para quem é fã dos sucessos musicais dos anos 80 como Ursinho Blau Blau, Mais uma de Amor, A Fórmula do Amor, dentre MUITOS, (porque são muitos mesmo!!) outros hits desta época, pode se deliciar com uma rádio on-line que imita um toca-fitas antigo, com direito a teclas de stop, pause, cue (> avança) e review (< recua). Estas duas últimas permitem ao internauta ir para a próxima música (clicando em cue) ou voltar para a anterior, (clicando em review).

Além destas funcionalidades, é possível mudar a estação dentre diferentes possibilidades da música Trash (Trash Wave, Trash Brasil, GLS Trash, Black Trash, Infância Trash e muitas outras…), alterar o volume e fazer indicação aos amigos.

A inovação é do site oficial da festa dos amantes do Trash 80’s.

Encontros e Despedidas

Tenho só (ou já é muito?) 25 anos e tantas pessoas passaram pela minha vida, umas vêm e vão, outras nunca mais vi… Algumas a tecnologia deu uma forcinha para reencontrar, seja via MSN ou orkut, pude rever, nem que seja por foto MUITA gente.

Como os mais chegados já sabem, estou mudando de emprego, o que para alguns significa um novo desafio profissional e só, prá mim tem um algo a mais, já me despedi de tanta gente da agência, agora chegou a minha vez e para os que especiais, aqueles que gosto demais e que ficam eu desejaria muuuuuuuuuito não perder contato, pode ser que sim, pode ser que não, só o tempo dirá…

Para a Thaís desejo muita sorte, nem sei se é preciso, ela mal chegou e já pegou o jeito, já conquistou todo mundo e é muito profissional, tenho certeza que vai brilhar ainda mais como jornalista… Enfim, todos que de alguma forma foram mais próximos, só um pedido: não sumam! Porque eu vou tentar fazer o mesmo.

Uma música do Milton Nascimento que tem tudo a ver com o momento…

Encontros e Despedidas

Mande notícias do mundo de lá
Diz quem fica
Me dê um abraço, venha me apertar
Tô chegando
Coisa que gosto é poder partir
Sem ter planos
Melhor ainda é poder voltar
Quando quero

Todos os dias é um vai-e-vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai e quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar
E assim, chegar e partir

São só dois lados
Da mesma viagem
O trem que chega
É o mesmo trem da partida
A hora do encontro
É também despedida
A plataforma dessa estação
É a vida desse meu lugar
É a vida desse meu lugar
É a vida