C’ est la vie!

É, é a vida… Há um ano eu estava na mágica Paris… Vivi dias maravilhosos, em pleno outono, na cidade luz, eu e uma amiga querida (gremista, gaúcha e brasileira) rs.

Saudosismo à parte, gostaria de comentar que achei o máximo São Paulo copiar uma iniciativa parisiense de sucesso: o aluguel de bicicletas. Espalhado por vários cantos da capital francesa, este projeto é um sucesso. Aqui em Sampa o programa MetroCiclista ainda está bem tímido, sendo disponibilizado em apenas 4 estações de metrô – Corinthians-Itaquera, Guilhermina-Esperança, Carrão (todas na zona leste de São Paulo) e Sé (região central).

O empréstimo é gratuito na primeira hora; após esse período, é cobrado um valor de R$ 2 por hora, que é debitado no cartão de crédito. Como garantia para a concessionária que idealiza a ação (Instituto Parada Vital),  cada empréstimo bloqueia no cartão de crédito R$350 na primeira bicicleta e R$50, por bicicleta adicional, (assim como é na Europa), após a devolução do equipamento em até 24h nada é descontado no cartão.

Na Europa o esquema é o mesmo, é ilusão pensar em bicicletário público, em qualquer país que seja. Na França, o valor pedido é de 150 euros e, mesmo assim, 20% das bicicletas do sistema francês são roubadas.

Ainda está em estudo alguma forma de realizar o empréstimo sem a necessidade do cartão, mas até o momento nada foi divulgado.

Au revoir!

Fonte: Folha de São Paulo

22 de setembro – Dia Mundial Sem Carro

Na última segunda-feira (22/09) aconteceu o ato político internacional “Dia Mundial Sem Carro” – ressalve-se bem que se tratou de um ato mais internacional mesmo, porque aqui no país tupiniquim, além de ter lido alguma coisa aqui, outra acolá em blogs e alguns portais não vi uma movimentação sequer por parte de nenhuma autoridade.

Li ainda que vergonhosamente o Ministro das Cidades, Márcio Fortes, favorável à participação do maior número possível de cidades brasileiras, e defensor do ato, pegou seu carrinho e foi trabalhar, ótimo exemplo, não acham?

Pior fica quando pude visualizar no blog de um ator os mapas dos metrôs de cidades como Paris, Londres, Nova Iorque,  São Paulo e Rio (já tinha visto o mapa enorme de Paris e pude experimentá-lo ao vivo, também já tinha ouvido falar – mal – das pequenas 2 linhas do Rio, sendo que uma é bastante perigosa, tornando-a inutilizável por quem tem medo, ou precaução), mas vê-las assim uma abaixo da outra… VERGONHA! É o que sinto diante de uma malha metro-ferroviária tão mediocre diante da grandiosidade de São Paulo. Paris não tem nem a metade do tamanho da capital paulistana e tem de 4 a 5 vezes mais quilômetros de transporte coletivo subterrâneo, pois é, por isso lá é Primeiro Mundo.

Mas, pega nada não, com a Marta o metrô de SP vai para a Freguesia, Sapopemba e M Boi Mirim (como se isso fosse resolver o problema…). Para quem ficou 4 anos no poder e não fez NENHUMA estação já será alguma coisa!

Não estou defendendo, nem ofendendo nenhum partido, nenhuma liderança política, estou mostrando minha indignação diante do descaso de todos os prefeitos que já passaram por SP, entra um (de um partido) sai outro (de outro partido, diga-se de passagem) e pouca coisa é feita, quase nada. O mal brasileiro, além da corrupção, é a falta de vontade política em melhorar o que é público: transportes coletivos, praças, parques… Constrói-se tanto, mas se o transporte público (principalmente o ferroviário) não melhora simultanemanete, desculpe Dr. Paulo, mas de nada adianta tanta obra faraônica, digo malufônica!

Dia 5 está chegando, dia de eleição, e o que é mais triste é que são sempre os mesmos, e dificilmente algo vai mudar. Capaz da Dona Marta ganhar: Internet sem fio para todo mundo (sendo que a minoria tem PC em casa, OK, mero detalhe…), carregamento do bilhete na catraca (Fraudes? Acho que o Kassab sonhou…) e mais TRÊS estações de metrô, ulalá, todos os problemas estarão resolvidos!

Paris

 Londres

Nova Iorque

São Paulo

Rio de Janeiro

Imagens: Blog Roger Gobeth