Dica de blog italiano

Que tal se arriscar a ler um blog italiano de vez em quando?

Quem sabe você não se apaixona pela língua e vai estudá-la, quem já a estuda poderá praticá-la e o melhor:  ficará por dentro de muitas curiosidades culturais!!!

Ele é atualizado a cada 15 dias e é feito por um professor de italiano. Confira: http://italianocr.blogspot.com/

Olha como ele se define: “Essenzialmente un blog per appassionati: appassionati della lingua italiana, appassionati dell’Italia, della sua cultura, della sua gente”.

Anúncios

Venezia: maré mais alta dos últimos 30 anos

O noticiário definitivamente assemelha-se ao do fim do mundo, as cidades litorâneas que sempre foram mostradas como municípios que mais dia, menos dia desaparecerão dos mapas e passarão a ficar submersos estão sendo profundamente afetados pelas fortes chuvas e marés altas.

Depois da bela Florianópolis e de lindas cidades catarinenses, a charmosa Veneza está inundada por 80 centímetros de água!

A famosa cidade italiana está em estado de alerta depois que o mar subiu 1,60 m a mais do que o normal, batendo a marca mais alta em 30 anos.

Veja uma foto de Veneza em outubro do ano passado e, hoje, inundada. Acho que a natureza está pedindo socorro…

veneza

piazza-san-marco-alagada

Europeus e italianos: quanta diferença!

Apenas um adendo, este é o centésimo post do blog!

Quem já foi para a Itália sabe que as pessoas de lá não se parecem com o restante dos europeus. Franceses, holandeses, alemães, entre outras nacionalidades que compõem a União Européia são exemplo de organização, educação e objetividade, já os italianos são o símbolo do caos (nas filas, no trânsito, na burocracia…), talvez por sermos muitos os descendentes deste povo aqui no país tupiniquim, muitas são as semelhanças entre nós.

Confira no vídeo abaixo, bem famoso e bastante difundido por e-mail um pouco desta semelhança.

Fonte: Bruno Bozzetto

Tanti ricordi di un belissimo mese in Italia…

Oggi, un anno fa che ho viaggiato, l’esperienza è stata indimenticabile, per questo vado postare il testo che ho fatto per il giornale della Scuola Dante Alighieri l’anno scorso.

Imparare l’italiano in un modo diverso

Studiare e abitare in un piccolo paese: un’esperienza indimenticabile

 Toc, toc, toc… Avanti! Così sono cominciate le mie lezione tutti i giorni di ottobre di 2007 a Castelraimondo (quasi tutti i 20 giorni sono arrivata due, tre minuti in ritardo) e per questo la mia brava e simpatica professoressa (Caterina) prima di dire il suo dolce “Buongiorno” era obbligata a dire “Avanti”.

 L’esperienza di studiare questi giorni alla Scuola Dante Alighieri e di abitare nel piccolo paese è stata indimenticabile. Prima di tutto perché io e più di undici ragazzi brasiliani siamo diventati come amici d’infanzia in due giorni. Ognuno degli undici è venuto da diversi posti del Brasile (io, Paula, Patricia e Caio da San Paolo; Fernanda, Sabrina, Rose e Andressa da Rio Grande do Sul; Elisa da Santa Caterina; Pedro da Rio de Janeiro; Ricardo da Minas Gerais e Antonio da Pernambuco), ma l’empatia che abbiamo conquistato, nonostante sia stata veloce è stata intensa.

 È vero che qui è stata un’Italia senza frontiere, nella classe di Caterina in questo mese ci sono state persone di quasi tutto il mondo: America del Nord (Messico), America Centrale (Costa Rica), America del Sud (Brasile e Argentina), Europa (Croazia, Romania e Spagna) e Asia (Giappone). Il mondo in una classe e la didattica e carinissima professoressa sono state una delle migliori cose del corso. Al di là di imparare l’italiano, abbiamo scambiato diversi temi culturali fra i paesi, una ricca esperienza culturale da non dimenticare mai.

 Nelle gite, dal mare (Civitanova) alla neve (Monti Sibillini) la prima volta in Italia è stata una mescolanza di paesaggi, di sapori, italiani diversi: Marche, Umbria, Lazio, Veneto e Toscana sono diverse regioni che abbiamo visitato; alcuni dicono che è stata troppo veloce, io preferisco pensare che ho visitato quello che è stato possibile, in quello che mi è piaciuto di più ho perso qualche minuto per osservare un paesaggio, una chiesa, una piazza o un’architettura. È difficile assorbire tutto quello che offre l’Italia in un solo mese mentre si studia.

 Questo viaggio è stato ideale per conoscere meglio se stessi, per imparare l’italiano in un modo diverso (immersa nella quotidianità italiana) per conoscere più brasiliani che in qualsiasi parte del mondo non perdono l’allegria, per conoscere anche persone di paesi vicini e lontani. È così come ho scritto nel primo giorno: un sogno da realizzare e che adesso si può dire “c’è il gusto di volere di più”, in portoghese “gostinho de quero mais”. Davvero indimenticabile.

Ferrari e Maserati passeiam por rotas da França e Itália

De 19 a 21 de setembro, entre Megève e Mônaco, acontecerá um prestigiado passeio reservado aos proprietários dos carros Ferrari e Maserati.

O evento organizado pela Red Cars Racing tem como objetivo percorrer as estradas e os roteiros gastronômicos das regiões, levando muito luxo às ruas das cidades.

O encontro começará na “Place de l’Eglise de Megève” (Praça da Igreja de Megève). De lá irão em direção ao Lago de Annecy, onde no Auberge du Père Bise (Castelo) acontecerá o almoço. À noite eles regressam ao ponto de partida, passando por longas rotas charmosas até chegar ao hotel Mont-Blanc.

A segunda etapa vai levar até Pollenzo, na Itália, com a passagem por “Colde l’Iseran”, que garante exepcionais vistas, onde haverá um coquetel pela Moët & Chandon e em seguida, um jantar no restaurante Guido.

Ao final está prevista uma exposição dos carros participantes que ficarão estacionados na Place du Casino até o final do dia.

Fonte: Webluxo

Quer estudar na Itália?

As idicações que passarei agora são de duas escolas que ficam na região de Marche – um lugar bastante medieval, com muitos castelos, belas paisagens e que tem a sorte de ter mar, montanha e estar super bem localizada, bem próxima à Toscana (Firenze, Pisa, Siena, Livorno…), ao Lazio (Roma), à Umbria (Assisi e Perugia), enfim, localiza-se ao centro-leste do país de onde se pode passear de trem ou até mesmo ônibus e carro para todas as outras partes sem enfrentar grandes distâncias, nem muito tempo.

Scuola Dante Alighieriwww.scuoladantealighieri.org/
Via E. Mattei, 69 – 62022
Castelraimondo (MC) – ITALIA
Tel./Fax +39 0737 642611
E-mail: centroalighieri@scuoladantealighieri.org

Com 10 anos de experiência no ensino de italiano para estrangeiros, Dante Alighieri é um centro de excelência educacional (tive a honra de passar 1 mês lá ano passado e apesar de saber que muitos professores saíram, a indicação da escola se mantém). A cidade é minúscula, mas um charme, a escola recebe pessoas de todo o mundo, os alojamentos são no mesmo local , tudo é muito seguro e perto, os passeios são muito velozes por conta do tempo, mas cada um, a seu modo, aproveita o que acha mais pertinente. Há preços especiais para brasileiros e o site aparece também em português para quem não tem afinidade com italiano… Há desde o curso básico I até o preparatório avançado para quem deseja lecionar italiano em seu país. Vale conferir!

A outra indicação é uma escola da mesma região, mas que fica em uma cidade praiana (Civitanova), um antigo professor da Dante foi para lá e deu ótimas recomendações.

Civitas Italia International School – www.civitasitalia.com
via Aldo Moro 55,
62012 Civitanova Marche (MC) – Italia
Tel. +39 0733 813285
Fax: +39 0733 785691
Cell: +39 320 7464414
Skype-id: civitasitalia
E-mail: info@civitasitalia.com

Há diversas opções de cursos, com duração de uma a quatro semanas, inclusive estágios e um projeto especial para quem deseja retirar a cidadania, estando na Itália. As opções de alojamentos são apartamentos, hotéis e casas de família, há diversos passeios por cidades turísticas. O site também aparece em português. Civitanova é uma cidade maior, o comércio é excelente (não fecha a tarde toda para almoço), tem mais baladas, a praia banhada pelo mar Adriático e por estar mais a leste do que a central Castelraimondo, os passeios demoram um pouco mais (cerca de 1 hora), dependendo para onde se deseja ir.

É bom saber

  • Pense na bagagem com bastante praticidade e inteligência: veja quanto tempo permanecerá viajando, se pretende pagar lavanderia para lavar e secar suas roupas, observe em que época do ano está indo, pesquise se nos locais que ficará hospedado tem calefação no inverno e ventilador ou ar condicionado no verão e lembre-se, na Europa: de dezembro a março – inverno; de março a junho – primavera, de junho a setembro – verão, de setembro a dezembro – outono;
  • A passagem aérea para a Europa fica mais barata quando o dólar cai, apesar da moeda oficial ser o euro, as companhias de viagem cobram em dólar, tente aproveitar promoções para estudante, ou promoções que dividem em várias vezes sem juros, ida e volta está de 900 a 1.000 dólares;
  • O valor médio para um curso de um mês na Itália está entre 600 e 750 euros, às vezes este valor inclui a hospedagem;
  • Incluídos a passagem, o curso e a hospedagem, reserve dinheiro para comida e comprinhas;
  • Comer (bem) na Itália é um pouco caro, os restaurantes têm preços salgados para pratos não muito fartos, o que compensa mesmo é ficar em flat ou apartamento que tenha cozinha, comprar produtos ótimos a preços bons (com exceção de carne vermelha) e fazer a comida na maior parte dos dias;
  • Pode-se comprar presentes e coisinhas fofas nas feiras (mercato) que acontecem em quase todas as cidades, uma vez por semana, há de tudo: roupas, bolsas, óculos… Vira e mexe grandes grifes e livrarias fazem promoções incríveis em suas lojas também;
  • Cidadezinhas pequenas como Castelraimondo têm lojas multimarcas que vendem produtos lindos e de grife a bons preços;
  • Aproveite a viagem e conheça outras regiões que não estão incluídas no pacote, tudo é muito perto e as passagens aéreas low cost compensam muito de 10 centavos de euro a 10 euros é possível conhecer muitos lugares da Europa;
  • Só fique atento à bagagem, do Brasil para a Itália é possível levar duas malas de 35kg, mas em viagens consideradas domésticas como Roma x Paris só é permitido levar 20 kg, deixe a bagagem na casa de um conhecido ou albergue, porque o valor de excesso de bagagem não compensa a economia com a passagem aérea;
  • Nestas viagens a outras cidades e até países fique em albergues, eles são mais baratos e divertidos, você fará amizade com gente do mundo inteiro, não opte pelos mais baratos, os de preço em torno de 20 euros a diária, já são de padrão elevado, incluem suítes coletivas, roupa de cama, café da manhã, costumam ser bastante limpos e bem frequentados. Em Roma eu indico o Alessandro Palace (Via Vicenza 42) perto da Termini e em Paris, indico o Le Village (Rue D’Orsel, 20), no bairro charmosérrimo de Montmartre (quando eu fui, no albergue parisiense trabalhavam uma brasileira e um italiano, foi ótimo, me senti mais em casa)… 

Gira, gira il mondo…

Andar por qualquer cidade prestando atenção pode ser uma aula ao vivo de história, mas caminhar por São Paulo é ainda mais fascinante, esta cidade sem rosto, sem língua, sem identidade definida é um pouquinho de cada pedaço deste mundo a fora. Caminhar pela Liberdade é chegar mais perto da cultura oriental, algumas ruelas do entorno da 25 de março resgatam a cultura libanesa, o Bixiga e a Mooca trazem para perto o charme caótico de regiões italianas como a Calábria e a Sicília…

Higienópolis é um pedacinho de Israel, tem muitas sinagogas e estabelecimentos em que a cultura judaica é muito forte, a Estação da Luz com sua arquitetura inglesa nos permite irmos a Londres sem tirar os pés do chão paulistano. Poderíamos ficar horas a fio aqui, dizendo como é impressionante a semelhança entre a Paulista e a Quinta Avenida em Nova Iorque, ou a Oscar Freire e a Champs Elysèe (guardadas as devidas proporções…).

Mas, toda esta contextualização, bastante saudosista, além de homenagear esta cidade intrigante, cheia de problemas, mas muito especial, porque só São Paulo tem restaurantes de quase todas as nacionalidades do mundo, tem as melhores casas de show, é a capital financeira e industrial do Brasil, além de ser muito rica histórica e culturalmente falando. Um exemplo disto é que hoje, em um passeio informal pelo centro conheci um café muito charmoso e veramente italiano “Giramondo Caffè”.  Assim, no meinho desta cidade fascinante pude praticar meu italiano com um senhor romano que há muito vive no Brasil e com a proprietária do cafezinho, uma paraibana, casada com italiano que fala o idioma perfeitamente. Uma cena curta, rapidíssima, mas bonita de se viver em terra brasileira, com tamanha veracidade,  com sabor de Brasil, porém com cara de Itália e com cara de São Paulo.

Vale a pena visitar a site do Café, clean, mas cuidadosamente pensado, assim como o lugar que não fica devendo nada aos estabelecimentos romanos ou fiorentinos, vide o cardápio. E se der dê um pulinho na Rua Marconi, 19. Só os quadros e a decoração já valem a pena, o que dizer do café e dos paninis…

Arrivederci!